COMPARTILHAR

Em julho de 2013 foi anunciada a série The Flash e nós, fãs tanto das HQs quanto das animações, principalmente da Liga da Justiça que no Brasil era transmitida pelo SBT, ficamos muito felizes pois um dos heróis mais legais do universo DC teria sua própria série. Participando de três episódios de Arrow antes de estrelar a sua própria, fomos apresentados a Barry Allen e também a atuação de Grant Gustin apenas como o cientista forense de Central City. Em maio de 2014 o episódio piloto de The Flash vazou na Web e foi possível sentir um pouco de como seria a mesma, que logo estreou em 7 de outubro do mesmo ano tendo a segunda maior audiência do canal CW, perdendo apenas para The Vampire Diaries. Ao passar dos episódios fomos apresentados a personagens clássicos e outros nem tão envolvidos com as histórias do velocista escarlate nas HQs, porém fomos aos poucos conquistados pelo carisma e atuação da maior parte do elenco da série. Com grandes reviravoltas e um vilão fantástico, muito graças a grande interpretação de Tom Cavanagh como o vilão Flash Reverso – aka Eobard Thawne ou Harrison Wells como preferir – tivemos um fim correto, não tão grandioso, porém um fim adequado a uma season finale.

A série garantiu seu público cativo e ganhou sua segunda temporada, nos prometendo terras paralelas, novos vilões e muitas outras novidades. E não podemos dizer que tal promessa não foi cumprida, tivemos terras paralelas, novos vilões, novos dramas na vida já sofrida de Barry Allen, porém ao se observar a temporada como um todo percebe-se que o enredo não mudou. As consequências de uma catástrofe ameaçam a cidade, Barry tem um novo mentor, descobrimos que o vilão quer a velocidade de Barry, descobrimos a identidade do vilão, sendo este o mentor de Barry, mais revelações chocantes e um final mal trabalhado.

A fórmula se repete, porém, de forma mais cansativa, com um roteiro bem menos trabalhado e com plots excessivos e desnecessários, alguns até que lhe fazem questionar se aquilo é sério ou apenas estão testando sua inteligência, levando a uma temporada com qualidade média para ruim, onde poucos episódios são interessantes de se assistir. Mas uma centelha de esperança foi acesa com a última cena da segunda temporada deixando todo o público chocado e aqueles que já acompanham a história do herói no mais puro frenesi.

Com a chegada da terceira e mais esperada temporada, pois esta foi anunciada como a adaptação de um dos mais aclamados arcos do universo DC e um ponto chave na história do herói, o Flashpoint (PT-BR. Ponto de ignição), todas as atenções foram centradas ao nosso velocista favorito. Aquele que deveria ser “O” grande evento, o ponto em que tudo no universo da DC na TV mudaria ficou condicionado a um episódio inconsistente, mal trabalhado e que não excedeu as expectativas dos fãs mais assíduos e nem mesmo dos próprios fãs da série somente. O mesmo problema que foi apresentado na segunda temporada se manteve nesta nova fase do herói, porém mais agravados, onde a história não cativa mais tanto o público e nos deixa apreensivos sobre o que acontecerá no próximo episódio como este já fizera uma vez, no arco de episódios, 01×15 – Out of Time e 01×16 – Rogue Time.

Existem fatores bem determinantes para explicar a situação em que a série chegou, a necessidade de se ter um grande vilão que dê conta de uma temporada inteira com 23 episódios é uma delas onde, nem mesmo o Flash Reverso deu conta. O fato de que é preciso preencher todos esses episódios de forma que sejam interessantes, mas que a história não deixe de ser coesa. Além do fato de sempre existir o mal, ou o vilão da semana no caso, para o flash combater. Tudo isso somado ao comodismo de repetir a mesma fórmula de enredo que deu certo na primeira temporada, acaba por fazer a qualidade da série despencar. Bons vilões é o que não falta quando se trata de Flash, além de grandes histórias prontas para serem adaptadas, só resta os produtores acordarem e começarem a correr atrás do prejuízo e consertar os erros para assim vermos nosso velocista favorito ser tratado com o devido respeito.

Esta é a opinião do autor sobre a série. Qual a sua opinião sobre The Flash? Deixe seu comentário abaixo.

  • Gerci

    adorei a matéria, parabéns môzão hahahaah digo, Matheus <3

    eu acho que não podemos esperar muita coisa dos produtores dessa série, pois eles sempre perdem a mão em qualquer coisa que fazem.